Motoboys redobram cuidados com higienização em Jundiaí durante pandemia

A correria sempre esteve na rotina dos motoboys, mas, com a pandemia, as paradas se tornaram obrigatórias. Eles estão trabalhando todos os dias e, com as restrições, as entregas de delivery aumentaram.

Em entrevista o motoboy Marcos Vinícius de Moraes explica como têm funcionado os cuidados a mais com a higienização para evitar a transmissão da doença.

“A gente já higieniza antes de entregar a mercadoria, porque não sabemos onde encostamos antes de chegar na casa do cliente e, depois da entrega, a gente limpa a máquina de cartão e higieniza as mãos”, comenta.

Nesta fase mais restritiva do Plano São Paulo, com o comércio de portas fechadas, os motoboys se tornaram fundamentais levando as entregas.

Adriano Torrini conta que, com a pandemia, o volume de entregas aumentou cerca de 80%. A rotina dele é estar sempre de máscara, higienizando as mãos e evitando lugares fechados e com muita gente.

“Sempre espero o cliente no lado de fora, não procuro ir a lugares com muitas pessoas”, conta.

Os médicos alertam que a exposição do motoboy é muito grande. Afinal, todo dia eles se encontram com dezenas de pessoas diferentes. Por isso, além dos cuidados com a higiene das mãos e o uso de máscaras, a orientação é reforçar a limpeza na moto e no capacete.

“Deve desinfetar todas as superfícies que tenham contato com a mão, o guidão e a máquina de cartão. O capacete deve ter um cuidado maior, limpar por dentro e por fora, com água sanitária ou com água e sabão ou usar álcool”, comenta o médico infectologista Saulo Passos.

Marcos tem 37 anos e há 17 trabalha como motoboy. Mesmo se cuidando, ele e a família pegaram Covid. “Acabei levando para a minha casa, meus familiares pegaram. É tenso o tempo inteiro”, comenta.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *