Ataque cinematográfico a Viracopos completa 1 ano e investigação é sigilosa

O ataque cinematográfico a uma transportadora de valores no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), completa um ano neste sábado (17) com a investigação correndo sob segredo de justiça e sem informações sobre prisões ou eventual relação do crime com outras ações criminosas contra o terminal. Recentemente, a Polícia Federal desarticulou uma quadrilha especializada no tráfico de drogas que agia dentro do aeródromo.

Há um ano, a ação frustrada de uma quadrilha com cerca de 20 integrantes resultou em tiroteio no terminal de cargas, vários veículos em chamas na Rodovia Santos Dumont (SP-075) e até o uso de um caminhão de lixo na tentativa de fuga.

Três suspeitos foram mortos, um policial militar e três funcionários da empresa de valores ficaram feridos, além de uma mulher atingida por estilhaços de bala após ser feita refém com um bebê de 10 meses.

Na ocasião, dois malotes com dinheiro foram recuperados, armas de guerra foram apreendidas, mas nenhum integrante da quadrilha foi preso.

Malotes de dinheiro e armas apreendidas pela PM em um caminhão de lixo utilizado pelos criminosos que assaltaram Viracopos — Foto: Polícia Militar/Baep/Divulgação

Malotes de dinheiro e armas apreendidas pela PM em um caminhão de lixo utilizado pelos criminosos que assaltaram Viracopos — Foto: Polícia Militar/Baep/Divulgação

O alvo do grupo era uma grande quantidade de dinheiro que seria embarcada em um avião da transportadora UPS para Londres. Eles interceptaram o carro-forte e teriam pegado apenas dois dos 22 malotes que estavam no local. O valor nunca foi divulgado.

Caminhões incendiados na rodovia Santos Dumont em Campinas durante assalto ao Aeroporto de Viracopos — Foto: Arquivo pessoal

Caminhões incendiados na rodovia Santos Dumont em Campinas durante assalto ao Aeroporto de Viracopos — Foto: Arquivo pessoal

Investigação

A Polícia Federal foi procurada pela reportagem para saber se a investigação tinha novidades e alguma possível relação com outro ataque, em março de 2018, mas que terminou com sucesso para a quadrilha – em apenas seis minutos, US$ 5 milhões foram roubados do terminar de cargas. O dinheiro era parte da carga de um avião e tinha como destino a cidade de Zurique, na Suíça.

Em setembro, dois suspeitos pelo roubo de US$ 5 milhões foram presos pela PF após a apreensão de US$ 20 mil e rastreamento desses dólares.

Em nota, a PF informou que não poderia dar detalhes dos trabalhos por conta do sigilo da investigação. “As investigações sobre o assalto citado continuam sobre segredo de justiça, o que nos impossibilita de fornecer informações”, diz o comunicado.

Sobre o assalto milionário e a tentativa de assalto que completa um ano, a concessionária Aeroportos Brasil, que administra Viracopos, destacou que “os casos estão sob investigação sigilosa por parte da PF” e por isso eles não irão se manifestar.

Questionada sobre possíveis mudanças nos esquemas de segurança no terminal de cargas após o ataque, a Aeroporto Brasil Viracopos informa apenas que ocorreram atualizações, mas que “não poderia detalhar justamente por questões de segurança”.

(Fonte: G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *