Com o aumento de casos de Covid-19, HSV amplia em 12% os leitos de enfermaria

 

Nos últimos 15 dias, a demanda por internação em decorrência de Covid-19 cresceu 66% somente no Hospital São Vicente de Paulo (HSV), referência em atendimento público para a doença em Jundiaí e alta complexidade da região da Aglomeração Urbana de Jundiaí. Para manter o atendimento, o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus mantém os 82 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e amplia em 12% o número de leitos de enfermaria (híbridos), passando a contar com 94 leitos exclusivos. Esses leitos podem ser transformados em UTI conforme a necessidade.

No total, Jundiaí passará a contar com 190 leitos dedicados ao tratamento dos casos suspeitos ou confirmados pela infecção da Covid-19 – já contabilizando os 14 leitos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vetor Oeste.

“Assim como tem sido feito ao longo de toda a pandemia, Jundiaí mantém a equipe técnica em constante avaliação do cenário epidemiológico, para, ao identificar a necessidade, as adequações dos recursos para o atendimento são feitas. Os esforços garantiram à cidade passar pelos dois picos anteriores mantendo o atendimento para toda a população, seja em necessidades de Covid-19 ou nas demais demandas. Mas, a colaboração da população é essencial para reduzir a disseminação da doença”, explica o prefeito Luiz Fernando Machado.

De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera, a média móvel do dia 1 de junho apontava 12 internações por dia no HSV. No dia 14, o número saltou para 20. “O hospital é a referência para o atendimento em alta complexidade para Jundiaí e região. O termômetro para indicar a tendência da Covid-19 é o número de casos com sintomas gripais, que está crescente nas últimas semanas, inclusive alavancado pela queda na temperatura”, destaca o gestor.

Ainda de acordo com o gestor, a consequência do aumento no número de casos é a necessidade de mais leitos. “Após 15 dias é identificado o aumento no número de óbitos. A população que está liberada para vacinação contra a Covid-19, deve tomar a vacina e ampliar a cobertura para a contenção do vírus além de manter todas as medidas de proteção com uso de máscara, higienização das mãos frequente e distanciamento social”, comenta o gestor.

De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera, a média móvel do dia 1 de junho apontava 12 internações por dia no HSV. No dia 14, o número saltou para 20. “O hospital é a referência para o atendimento em alta complexidade para Jundiaí e região. O termômetro para indicar a tendência da Covid-19 é o número de casos com sintomas gripais, que está numa crescente nas últimas semanas, inclusive alavancado pela queda na temperatura. A consequência é a necessidade de mais leitos, e, em 15 dias, aumento no número de óbitos. A população que está liberada para vacinação contra a Covid-19, deve tomar a vacina e ampliar a cobertura para a contenção do vírus além de manter todas as medidas de proteção com uso de máscara, higienização das mãos frequente e distanciamento social”, comenta o gestor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *