Black Friday: Lojistas podem aderir ao horário especial e devem planejar estratégias

A Black Friday, dia de promoções no comércio eletrônico e no varejo físico, será na próxima sexta-feira (27) e é considerada uma das principais datas do comércio. Para impulsionar as vendas, o Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) informa que os lojistas poderão aderir ao horário especial de atendimento entre os dias 23 e 28 de novembro.

O horário especial está garantido pela cláusula 48 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), válido pela Semana do Consumidor, que autoriza o funcionamento das 9 até as 22h de segunda a sexta-feira e das 8h30 até as 18h, aos sábados. Para Edison Maltoni, presidente do Sincomercio e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jundiaí (CDL), a Black Friday 2020 acontece em um cenário adverso, onde o consumidor está atento às promoções para garantir as compras de final de ano.

“Para impulsionar as vendas, os lojistas devem planejar estratégias de vendas e, se quiserem, poderão aderir ao horário especial de funcionamento” – destaca Maltoni.

“A extensão do horário é optativa, mas parte dos comerciantes demonstraram interesse porque estão com boas expectativas de vendas já que o consumidor conta com as promoções da campanha para fazer suas compras de final de ano. Outra vantagem é a proximidade com o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário”, avalia.

Expectativa

Maltoni avalia que o planejamento do negócio faz toda a diferença para o sucesso da Black Friday e que as promoções devem ser atrativas para os clientes. “Os descontos podem vir acompanhados de brindes nas embalagens, cartões de fidelidade e outras ações que atraiam o consumidor – por exemplo, “compre 2, leve 3”. Utilize promoções-relâmpago em seus canais digitais”, orienta.

A intenção de compra na Black Friday 2020 cresceu 24% em relação a 2019, segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em parceria com a Offer Wise Soluções em Pesquisa. O levantamento apontou que 61% dos entrevistados de  27 capitais brasileiras afirmam que pretendem fazer compras na Black Friday esse ano.  Roupas, calçados e smartphones serão os produtos mais procurados. Para 84%, compras na data em 2019 valeram a pena.

Quanto a forma de pagamento, 82% dos entrevistados pagarão as compras da Black Friday à vista, principalmente em dinheiro (45%) e no cartão de débito (34%). Por outro lado, 47% devem parcelar suas compras, principalmente no cartão de crédito (41%).

Na opinião de Maltoni, o consumidor está cada vez mais habituado à Black Friday e sabe que pesquisar os preços continua sendo fundamental para garantir boas compras. “O comércio sabe que uma boa experiência de compra é indispensável para manter o consumidor fiel. Nesse momento, em que as vendas online crescem a cada dia, a reputação das lojas é fator primordial. Por isso é preciso planejar as ações durante a campanha”, analisa.

Fonte: Assessoria de Imprensa CDL e Sincomercio Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *