Materiais gráficos das eleições são recolhidos para reciclagem

Sarjetas abarrotadas de papéis, ruas, casas e todo entorno de escolas. Foi comum se deparar com santinhos espalhados pelo chão.

Por lei é crime entregar a famosa cola com o número dos candidatos nos lugares da votação. 

A forma oportunista de campanha acontece na noite que antecede as eleições, ou são jogados escondido dos fiscais durante o período de votação. O lixo jogado em via pública é um ato que demonstra descaso e falta de preocupação com o meio ambiente, e pode provocar inclusive a queda de quem transita no local, dependendo do tipo do papel. 

Mas o que fazer com as sobra de materiais  gráficos  após as eleições?               

A Associação Eco e Vida, em Várzea Paulista, organização que trabalha com coleta seletiva e educação ambiental, tem recebido de alguns partidos da cidade, materiais que não foram utilizados e que após a triagem serão reciclados, transformados em composição para produção de material para novos papéis  

Tiago Gonçalves  comenta que o lixo jogado em via pública é um ato que demonstra descaso e falta de preocupação com o meio ambiente e pode provocar inclusive a queda de quem transita no local, dependendo o tipo do papel. 

Ele ressalta que o material impresso deveria ser abolido nas próximas eleições. 

A Associação Eco & Vida  trabalhou durante o período eleitoral, recolhendo parte deste material em pontos de votação e após, ao receber dos partidos os volumes gráficos que não foram utilizados. 

Os comitês que tiverem materiais gráficos, como santinhos, flyers, jornais e outros, poderão entrar em contato com a Associação Eco e Vida, para estarem retirando no local através do número (11) 99792-9680  

Para saber mais sobre o trabalho da Ong Eco & Vida acesse o site:

https://www.ecoevida.org/  ou Facebook:https://www.facebook.com/ECOEVIDASP/?ref=br_rs

Texto: Dircélio Timóteo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *